domingo, 5 de abril de 2015

Roteiro de uma peça bem ruim


QUINTAL DA CASA DA VÓ MATERNA - NOITE

Todas as personagens estão reunidas em volta de uma mesa redonda, posta no centro do quintal.

Sentada em uma cadeira azul, Tia Rosana inicia o diálogo da cena.

TIA ROSANA
Então, Fabiana, cadê seu namorado?

FABIANA
(engasga com a comida na boca)
Pois é, tia... A gente terminou já faz um tempo.

TIA ROSANA
Poxa, mas eu gostava tanto dele.

FABIANA
(sorri constrangida)
Acontece, né?

TIA ROSANA
Mas por que vocês terminaram? Ele era tão legal.

FABIANA
É meio complicado explicar pra vocês.

Entra em cena Tia Marcela.

TIA MARCELA
(fala alto e gesticula como se tivesse fazendo um discurso)
Mas a gente quer saber. E eu adoro detalhes, quero todos os detalhes!

FABIANA
Ele era meio parado. Antissocial. E eu nem sei se gostava dele mesmo. Acho que foi fogo de palha de adolescente, sabe?

TIA MARCELA
Mas esse fogo de palha durou quase quatro anos!!

Todos na mesa caem na gargalhada, menos Fabiana.
Entra em cena Maria, mãe de Fabiana.

MARIA
Eu gostava muito dele, pessoalmente falando. Era um rapaz distinto, respeitador, que combinava muito com você, Fabiana. Aturava suas manias, gostava de gatos assim como você, e sempre te presenteava com doces, o que você adora! Não entendo mesmo esse término tão repentino.

FABIANA
Não basta gostar de gatos e doces, né mãe? É preciso mais do que isso pra gostar de alguém, senão eu poderia me apaixonar por qualquer pessoa a qualquer momento.

TIA ROSANA
Essa fase da juventude é muito boa, hein? Cheia de namoradinhos, e com esse corpão todo deve fazer o maior sucesso na faculdade com os meninos. Agora é partir para o próximo namorado e seguir em frente, hein?

FABIANA
(miga, tenta se enterrar num buraco que dá tempo ainda)
Eu bem que gostaria de fazer sucesso com "os gatinhos", mas não sei se estou num momento pra gatinhos, sabem?

MARIA
Mas como assim?

FABIANA
Então...

TIA ROSANA
O que você procura num relacionamento, Fabi?

MARIA
É bom nem perguntar... Nessa idade as jovens só pensam em uma coisa: aventura.
(gargalhada histérica que envergonha a filha)

Todos riem em volta da mesa.

FABIANA
(visivelmente irritada com esse lance todo de reunião de família)
Eu não procuro um relacionamento, na verdade. Tô estudando tanta coisa, fazendo faculdade, preocupada em passar num concurso bom o suficiente pra me sustentar até eu conseguir a carteira da OAB, essas coisas... Não sei se quero namorar quem quer que seja.

TIA MARCELA
Mas todo mundo tem suas preferências.

FABIANA
Sim, eu sei. Mas as minhas...
(fala alto)
Ah gente, eu não quero comentar, ok?

MARIA
Sua tia só fez uma pergunta, seja educada.

TIA ROSANA
É, e fica tranquila. Todas nós já tivemos sua idade, sabemos como é. Seremos compreensivas.

FABIANA
(bufando, querendo enfiar o garfo em sua mão nos olhos de alguém)
EU TERMINEI COM O JOAQUIM E ESTOU AFIM DA AMIGA DELE, OK? EU NÃO GOSTAVA DE TRANSAR COM ELE, ME SENTIA TENSA, NÃO GOZAVA, NÃO ERA BOM, NÃO SEI O QUE EU ESTAVA PENSANDO QUANDO RESOLVI NAMORAR UM HOMEM.
(fala baixinho)
Talvez... se ele não tivesse toda aquela barba, quem sabe?
Não, Fernanda - OPSSS FABIANA, ISSO! FA-BI-A-NA - esse não era o problema...
Mas tinha o anticoncepcional, também. Esses hormônios não são de deus...
E a família perfeita dele? Não tinha um gay naquela família, isso nem é estatisticamente possível.

Todos ficam tensos na mesa.
Passam-se alguns minutos.
Só se ouve o som dos talheres nos pratos.

TIA ROSANA
Tem sobremesa, gente. Vocês querem?

Todos concordam e levantam para pegar a sobremesa.

Baseado em fatos reais. Mas na vida real não tinha sobremesa. O que é uma pena...

9 comentários:

  1. Adorei a forma como você expressou uma situação tão comum nas reuniões de família. Sempre surgem as Tias Marcelas/Rosanas para nos questionar sobre nossa vida pessoal e a gente se sente naquela situação de querer voar dali, por não sermos obrigados. No meu caso, as peças sempre terminam com respostas evasivas e falta de coragem de gritar para todos umas verdades (em todos os sentidos). Beijos

    ResponderExcluir
  2. Muito bom como você retratou a saída do armário.
    Não estranhe se esse dialogo vire algum dialogo de alguma peça...

    ps.: Ficaria legal uma peça teatral falando só de saídas de armários... Imagino já até a sinopse. "Uma comedia dragicomica retratando as varias situações entorno da complexidade de se assumir para a sociedade"

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk O que dizer além de AMEI ESSE POST gente kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Uma vez minha tia avó estava enchendo o saco da minha irmã mais nova num jantar desses, e a minha irmã não tá nem ai pra essas paradas, e ela é super tímida, então começou a ficar super constrangida, aí eu resolvi falar alguma coisa pra mudar de assunto e fiz uma piada de irmã mais velha ciumenta, tipo "não quero minha irmã com homem não" e aí essa tia avó ficou revoltadíssima e disse:
    "QUER A SUA IRMÃ COM O QUE? COM MULHER?"
    E eu: "ué, porque não?"
    Silencios constrangedores e olhares de reprovação se seguiram, lógico.
    Viu, já temos dois contos. Podia ser blogagem coletiva das bruxas kkkkk

    ResponderExcluir
  4. Acho que você errou o nome ali, não é Fabiana é Clay hahahaha
    Muito igual! Infelizmente isso é muito comum.
    Aqui em casa não tem esse questionário, mas o resto da família sempre quer detalhes =/

    ResponderExcluir
  5. LONGE de ser uma peça ruim, eu assistiria com certeza!

    Uma coisa muito escrota são os pais se metendo no relacionamento dos filhos. Ainda bem que meus pais nunca fizeram dessas. Meu pai tinha me visto com minha primeira namorada, mas nunca tocou no assunto de verdade, e se falou algo pra minha mãe, ela também não veio falar nada comigo. Não sei o que minha mãe acha, já que vivo indo em balada LGBT etc. HAHAHA. Enfim, eu não sinto necessidade de contar pra minha família. Quem sabe no futuro?

    Beijinhos ;*
    Nighght

    ResponderExcluir
  6. Pq quem fala o que quer, ouve o que não quer. Quem pergunta quer saber, etc. Muitos ditados de ~~tias velhas se encaixam aqui HUEAHUEAHUA
    Gostei da ideia da Mari pra próx postagem: "cenas de conversas constrangedoras em família" HAHAHAHA
    Beijos, gata.
    http://www.canseidesernerd.com/

    ResponderExcluir
  7. Primeiro: eu definitivamente assistiria essa peça!

    Mas ninguém merece né? Se o mundo tivesse em chocolate metade da quantidade de tias marcela e rosana azucrinando nosso juízo toda reunião de família, não teríamos mais guerras. Eu mesma já passei várias vezes por essa situação (não só com "namoradinhos" - pra que esse inho gente? - mas tatuagens, piercings, cores de cabelo etc etc etc) e ultimamente passei a dar as respostas mais "chocantes" (para elas) possíveis, só pra me livrar do encosto hahah

    Enfim, adorei o texto e o seu blog, já pretendo voltar aqui :)

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Peça ruim coisa nenhuma, achei maneira!

    AH, e nada como uma reunião de família para nos deixar a todo vapor. Gente, não tem coisa que eu odeie mais nessa vida do que esse tipo de questionário sobre relacionamentos! Não devo satisfação dos meus relacionamentos nem para os meus pais, que dirá para as tias avulsas da família. No meu último aniversário, ao telefone, uma deles simplesmente me disse que estou encalhada, que meus melhores anos estão terminando e que eu tenho que fazer alguma coisa urgente, se não daqui alguns anos não vou poder escolher meu marido e vou ter que me contentar com qualquer um! HAHA, ótimo, adoro esse tipo de conselho - só que não. ¬¬

    Em um mundo ideal cada um cuidaria de sua própria vida e pronto. Seria muito mais feliz.

    ResponderExcluir
  9. Subindo na mesa e aplaudindo de pé, porque foi fantástico (y)
    Achei um ótimo roteiro, porque se fosse comigo ia ser "terminei pra me concentrar nos estudos. Primeiro a faculdade, depois eu penso em namorar, sair, etc", e aí viria uma enxurrada de elogios clichês e todos iam voltar pra comida. Veja como poderia ser pior. HUASHUASHUAHUASHUA
    Se fosse uma cena de anime ia rolar um cenário coloridon, cheio de glitter e fogos de artifício, daí Fabiana se senta novamente na mesa e, com classe termina sua refeição, porque ela é diva demais pra esses mimimis <3 HUASHUASHUASHUAS

    Enfim, tô enrolando só, porque eu adorei e é isso. <3
    Fiquei muito feliz em saber que levo jeito pra profissão çwç espero mesmo fazer a diferença! Juro solenemente revolucionar a vida alheia em meus estágios uwu
    Espero que desenjoe do nome do blog, porque eu acho muito sua cara (Sei lá, te imagino entrando no palco, com plumas, toda trabalhada no paetê, rainha do cabaré, e sambando na cara da sociedade D:)

    Beijos Ferdiva <3

    ResponderExcluir